Uma breve história do Vírus

Uma breve história do Vírus

Programas maliciosos são quase tão antigos quanto o surgimento da computação pessoal. Mas você sabe como essas pragas digitais se espalharam pelo mundo?

1971 – Brincadeira Inocente

O primeiro vírus para computador foi criado por Bob Thomas, da BBN Technologies. Ele exibia a mensagem “Sou o Creeper. Pegue-me, se for capaz”. O próprio autor criou um programa para removê-lo.

1982- Tem bicho na maçã

A empresa criada por Steve Jobs inventou o computador pessoal e foi a primeira a ver um programa malicioso se espalhar sem controle. O Elk Cliner, criado por um jovem de 15 anos, contaminava máquinas Apple II por disquetes.

1986 – Um “cérebro” intruso

Criado por dos irmãos paquistaneses, Basit Farooq Alvi e Amjad Farooq Alvi, o Brain. A espalhou-se sem nenhum controle. O objetivo da dupla era proteger o direito autoral de um software (aepnas cópias piratas espalhavam o vírus).

1987 – Fora de controle

Com o suecesso das experiências anteriores, mais programadores começaram a criar malwares. A ideia era se divertir provocando o caos ou apenas mostrar falhas de sistema. O Jerusalém ficou famoso por atacar na sexta-feira 13.

1988 – Redes Comprometidas

Antes da internet comercial, a comunicação era feita por meio das BBS, centrais conectadas por telefone. O Festering Hate Apple ProDOS atacou essas redes em larga escala. Destruía todos os arquivos dos computadores contaminados.

1992 – Windows, cheguei!

O WinVir inaugurou a era de pragas digitais no Windows, mas não criava grandes problemas, além de se reproduzir sozinho. Essa fase inocente durou pouco. O sistema operacional da Microsoft é o maior alvo de ameaças atualmente.

1995 – Documentos em perigo

Criar um texto passou a ser perigoso no ano em que surgiu o Concept, o primeiro vírus que se espalhava por meio de códigos escondidos no Word. O ato de abrir o documento infectado fazia com que ele contaminasse a máquina.

1999 – Email com surpresa

Com a internet crescendo em ritmo acelerado, começou a temporada dos e-mails com anexos contaminados. Um dos mais perigosos exemplares da espécie, o ILOVEYOU causou um prejuízo mundial de 5,5 bilhões de dólares.

2004 – Vírus na palma da mão

A primeira vítima de malware para celular foi o sistema operacional Sysbian, da Nokia. O Caribe podia contaminar aparelhos por meio do Bluetooth, mas nunca chegou a se espalhar. Seus autores queriam provar que isso era possível.

2005 – Crime Organizado

O ano marca uma mudança definitiva na produção de vírus, que deixa de ser artesanal para se tornar uma atividade do crime organizado. A ideia passa a ser ganhar dinheiro, levando as vítimas a sites falsos e capturando seus dados.

2013 – Dados sequestados

O CryptoLocker inaugura uma nova e perigosa fase no mundo do malware. O Cavalo de Troia criptografa arquivos pessoais e exige pagamento para liberar o acesso aos dados. O resgate custa o equivalente a 2 mil dólares.

O que vem por aí

Tablets e smartphones já estão na mira dos criminosos. Com equipamentos cada vez mais inteligentes em casa, não tardará para que TVs e geladeiras se tornem alvo de ataques.

Proteja-se sempre usando um bom antivírus!

Fonte: https://goo.gl/BJZazr

Compartilhe esse post